.
.
"
Quando o Cruzeiro inicia uma competição, o mundo paralisa, a América do Sul treme, o eixo Rio-SP se curva e o galinheiro rebola."
.
.




2 de agosto de 2013

Era uma vez em Belo Horizonte (crônica sobre a história do futebol na capital mineira)

Era uma vez, uma mãe bem gorda e carinhosa. Ela tinha dois filhos e os tratava com o mesmo amor. Eles tinham nomes bem comuns e por isso todos os chamavam pelos apelidos. O mais velho era o Bicudo. Um garoto forte, sério e organizado. Andava sempre alinhado e não se misturava com ninguém. Cenoura era o filho mais novo. Mais descolado, saía com a galera, bebia cachaça e sonhava ser músico. A família morava em uma fazenda e tinha muito dinheiro. Os garotos passavam o dia inteiro jogando bolinha de gude. O mais novo era bem mais habilidoso e o mais velho era muito forte e vingador.

Tudo corria bem até que o mais novo ganhou dez vezes seguidas do mais velho! Nesse dia foi uma briga feia! Eles brigaram tanto que a mãe teve que construir uma casa para cada um. Cenoura ganhou uma casa bonita e verde. Que ele mesmo ajudou a construir. Estava adorando essa nova independência. Bicudo ficou enciumado e começou a reclamar. Chorou tanto que a mãe teve que construir uma casa ainda maior, porque a criança simplesmente não parava de chorar.

– “Maior!”, dizia. “Maior”!

A Mãe era rica, mas não tinha dinheiro suficiente para o tamanho do capricho do filho. Não restava saída a não ser pedir ajuda ao Pai das crianças para construir a nova casa. O Pai era um senhor bom, muito rico, mas um pouco mulherengo. Em uma dessas escapadas, engravidou uma bela jovem italiana, filha de um nobre padeiro da cidade. A esse novo filho, o chamavam de Parafuso, porque era pequeno como o macarrão e adorava pregar peças.

Ao saber da traição, a Mãe Gorda mandou colocar fogo na padaria e matar toda a sua família. O incêndio queimou tudo, mas como último suspiro, a jovem deu a vida para salvar o filho.

O Pai, arrependido da traição, concordou em construir uma casa bem grande, do tamanho do Maracanã. Mas tinha uma pequena condição. A Mãe Gorda teria que aceitar que o filho de fora do casamento também morasse nessa nova Casa Grande. E tinha que cuidar do pequeno Parafuso como se fosse seu filho. Ela pensou: “Essa casa é bem grande, cabem os dois. E esse moleque é tão franzino que rapidinho morre. Dá até dó, coitado! Hahahahaha”.

O mais velho não gostou nada de dividir a nova Casa Grande com aquele garoto estranho, mas foi convencido pela mãe de que seria temporário. Em breve a casa seria só dele.

E assim foi. A Mãe Gorda olhava para os três com muito amor. E se sentia bem consigo mesma: “Como sou acolhedora e hospitaleira”!

O tempo foi passando e aquele menino franzino foi crescendo e ficando um pouco mais forte. E timidamente admirava os novos irmãos jogarem bolinha de gude. Ficava visivelmente encantado com a habilidade do mais novo, o Cenoura. Lá do seu canto, afastado dos outros, Parafuso inventava partidas fictícias contra oponentes imaginários. E assim, todas as tardes brincava sozinho e se divertia um montão. Às vezes, o mais novo lhe ensinava algum truque, mas a Mãe Gorda sempre interrompia:

– Já disse que não quero ver você com esse bastardo!

O orgulho da Mãe Gorda era ver os filhos nos campeonatos de bola de gude. E resolveu inscrever os três em um torneio nacional. Sua intenção era humilhar aquele moleque franzino na frente de todos e provar que seus filhos legítimos eram melhores que o filho de uma estrangeira qualquer.
Mas não foi bem isso o que aconteceu.
Bicudo, o filho mais velho, foi logo eliminado na primeira fase.
Cenoura, conseguiu ir mais longe, mas a boemia sempre parecia um atrativo melhor.
Para a surpresa de todos, o moleque franzino foi avançando, avançando até chegar a final.
A Mãe Gorda dizia: “Que sortudo esse menino. Uma pena que não vai ser campeão. Mas tem muita sorte. Sorte pura. Hahahaha”.

E de fato a disputa final foi bastante complicada. Seu concorrente era um negrinho chamado Gasolina, um primo do interior que foi fazer a vida no litoral de São Paulo. Diziam que ele era o Melhor do Mundo.

Todavia, com criatividade e habilidade fora do comum, o moleque franzino conseguiu ganhar a primeira partida dentro de casa. E também ganhou de virada a partida fora, surpreendendo a todos no país! Parafuso era o Campeão Nacional de bolinha de gude!

O pai estava vaidoso! A Mãe gorda fingia orgulho, mas no fundo ela se arrependia de não ter matado aquela criança. Ela se sentia ferida e humilhada. Precisava mostrar pra todo mundo que o filho dela era muito melhor. Mas Bicudo por mais que tentasse não levava o menor jeito para bola de gude.
Então, a Mãe ligou para a Avó das crianças, uma senhora muito poderosa, e exigiu que seu primogênito entrasse para seleção Brasileira, que ia disputar o Mundial. E fez questão que desconvocassem o moleque franzino, porque ali não era o lugar dele, dizia. Ela ia provar para o mundo o valor do seu filhinho, custe o que custar.

A Avó, uma velha ainda mais gorda e extremamente autoritária ligou para o treinador e forçou a entrada do Bicudo na seleção. Ninguém no país gostou. Muito menos na seleção.
O técnico disse: “Cuide de seu ministério, que eu cuido da escalação do meu time”.
A Avó, sem titubear, mandou cortar sua cabeça e botou outro bem mais obediente em seu lugar.

Dito e feito. Bicudo foi convocado e viu do banco de reservas o Brasil ser Tricampeão Mundial…de bolinhas de gude.

Mas a Mãe Gorda ainda não estava satisfeita. Tinha que fazer de tudo para que o seu filho pudesse ganhar um título e enfim ser campeão brasileiro. Estava disposta a qualquer coisa, inclusive a se misturar com a gentalha. Então foi fazer amizade com as classes mais pobres. E sabe de uma coisa? Essa mistura fez muito bem pro Bicudo… Ele ficou mais bem humorado, mais descontraído e até um pouco mais habilidoso. Mas, a arrogância e o sentimento de vingança nunca o abandonaram. E o pior. Para atrair os mais humildes que estavam encantados com o carisma de Parafuso, a Mãe gorda inventou um monte de mentiras sobre o moleque franzino. Mentiras que são contadas até hoje. Inventou que ele era esnobe, que era mais fresco e que era moderno demais. Dizia até que ele não era brasileiro.

Uns acreditaram. Outros não.

O tempo passou e Bicudo foi melhorando. O contato com o povo surtiu efeito. E, anos depois, com a imprescindível ajuda da massa, o filho mais velho conseguiu finalmente ser Campeão Brasileiro de bolinha de gude!

A Mãe gorda ficou feliz. Felicíssima! Não se aguentava de contentamento. Ficou tão feliz que decidiu que era hora de expulsar o filho franzino da Casa Grande. Teve a brilhante ideia de mandá-lo para um intercâmbio bem longe. Mandou o Parafuso pra bem depois da cordilheira dos Andes, num lugar frio e isolado chamado Santiago do Chile.

E lá foi o menino franzino e assustado. O início foi difícil, outro idioma, outra cultura. Mas o garoto já estava acostumado a ser um estranho no ninho. E com seu carisma nato, sua habilidade fora do comum e uma dose de molecagem, Parafuso saiu de Santiago com o título de Campeão da América!

Foi sua Libertação! Voltou então para o Brasil disposto a tomar conta da Casa Grande que seu pai lhe deu! Afinal, também era herdeiro legítimo daquele lugar. Resolveu peitar a Mãe Gorda e má! E foi uma briga feroz. A Mãe não estava disposta a perder de novo. Vendeu tudo o que tinha para investir na carreira dos filhos. E para ser ainda mais eficaz, ela decidiu escolher apenas um dos dois. Optou pelo que chorou mais alto. Escolheu Bicudo e renegou Cenoura.

E assim, viu o filho mais velho ficar com o Rei na barriga. Ele passou a ganhar todas as disputas domésticas. Bicudo foi crescendo e, quanto mais habilidade adquiria, mais arrogante ficava. Mas, não importava o quanto jogava bem, ele nunca conseguia ser campeão de um título importante. Nunca. Quando chegava a alguma final, sempre esbarrava em Zé Urubu, um outro moleque super mimado filho de uma Mãe ainda mais gorda. Uma Mãe Carioca que também usou a tática de se aproximar das massas. E o que é pior, usava a tática de se aproximar da arbitragem também.

Bicudo seguia tentando em vão. Cenoura se entregou à boêmia, recolheu-se à sua pequena casa, mas sem perder a alegria jamais. Já Parafuso sofreu muito com as mentiras e com o isolamento. Passou anos sem conseguir um título. Parecia que seria o fim. Finalmente o filho mais velho e mimado dominaria as ações.
Mas algo faltava àquele moleque arrogante e antipático. Algo inexplicável. Algo que separa os bons dos maus.
Ele não conseguia ser campeão de novo.
A mãe gorda chorava: “É o azar, só pode ser azar. Meu filho é o melhor do mundo”!

O tempo passou. E o filho mais velho seguia recebendo toda a atenção, mas não conseguia ser campeão.

Então, Parafuso decidiu que era hora de buscar outras terras e partir para onde ele era querido. Pôs o pé na estrada e foi fazer sucesso mundo afora. E assim colecionou títulos internacionais. Todo ano era um. Supercopa. Recopa. Libertadores. O moleque franzino foi crescendo, crescendo e se tornando um gigante. Era o sucesso entre as mulheres! Voltou e começou a mandar na Casa Grande de novo. Sempre subestimado e comendo pelas beiradas, começou a mandar no Brasil também. Morta de inveja, quanto mais o menino ganhava, mais mentiras a Mãe Gorda contava. Só que agora as mentiras não faziam efeito. O moleque era astuto, combativo e jamais vencido.
Eis que, em um belo ano, Parafuso foi além. Conquistou a famosa tríplice coroa da bolinha de gude. Feito inédito no país. Em um só ano, ele conquistou tudo que poderia ter conquistado. Foi a maior façanha de um jogador de gude de todos os tempos.
Já não havia como comparar os dois filhos rivais. As disputas ficaram cada vez mais desiguais. Era 5×0, 5×0 de novo, 6×1. O menino franzino se tornou o verdadeiro dono da Casa Grande!

A Mãe Gorda ficou louca! Seu filho era chacota nacional. Ela tinha que fazer algo e rápido! Agora era guerra! Ela começou a se prostituir. Deu pra banqueiro. Deu pra político. Roubou até a casa do filho mais novo e deu para o mais velho. Foi uma vergonha. Valia tudo para ver o filho campeão.

Tanto fez, tanto fez, que finalmente o Bicudo conquistou (comprou) a tão sonhada taça de campeão da América. Hoje o Brasil inteiro acha o filho dela um amor e ela morre de orgulho.

Fim.



Por Otávio Ogando

Obs: a mãe gorda é a imprensa mineira.

fonte: http://mesa-quadrada.com/2013/07/28/era-uma-vez-em-belo-horizonte-cronica-sobre-a-historia-do-futebol-na-capital-mineira/

23 de maio de 2011

As 8 maiores mentiras contadas pelos atleticanos

O Atlético-Rosa é um clube monotítulo, sem glórias, inexpressivo no cenário internacional, coadjuvante no cenário nacional e chacota no cenário regional. Realmente tentou ser grande na década de 1980, mas fracassou e só conquistou títulos estaduais.

Essa carência absoluta de conquistas provocou na torcida do galo rosa uma angustia profunda e a solução que as frangas de Vespasiano arranjaram foi a criação e repetição de MENTIRAS com a conivência de uma parte da imprensa.

"Quanto maior a mentira, maior é a chance de ela ser acreditada." (Adolf Hitler)

"De tanto se repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade." (Joseph Goebbels, ministro da propaganda nazista)

A seguir veremos as maiores mentiras criadas pelos atleticanos e propagadas pela galopress, fruto do autismo canino e da megalomania galinácea:


1ª Mentira: "O Atlético-Rosa foi o primeiro clube profissional brasileiro a jogar na Europa"



De fato o galo rosa, no final de 1950, fez uma excursão à Europa onde jogou alguns amistosos aleatórios, mas antes disso outros clubes brasileiros já tinham ido lá jogar amistosos e até disputar torneios:


Palmeiras em 1949 - Em novembro desse ano disputou o "Torneio Bodas de Oro", na Espanha, em comemoração aos 50 anos do FC Barcelona.
Fontes: Google Palmeiras Barcelona 1949

Vasco em 1947 - Em Lisboa, no dia 15-06-1947, o Vasco enfrentou o famoso combinado "BSB" (Benfica, Sporting e Belenenses) nas comemorações da capital portuguesa e venceu por 4x3. FOTO DA SELEÇÃO DE LISBOA
Fontes: 1 das fontes
http://cacellain.com.br/blog/?p=363

O futebol brasileiro se profissionalizou em 1938. Veja alguns clubes que foram à Europa antes disso:

Vasco em 1931 - Disputou 12 jogos na Espanha e Portugal, obtendo 8 vitórias, 1 empate e 3 derrotas.
Fontes: Google Vasco 1931 Europa

Paulistano em 1925 - Foi o primeiro clube brasileiro a ir à Europa. Fez jogos na França, Suiça e Portugal com 9 vitórias e 1 derrota.
Fontes: http://www.museudosesportes.com.br/noticia.php?id=7813
Google Paulistano 1925 Europa



2ª Mentira: "O Atlético-Rosa é campeão do gelo"


Outra mentira cabeluda! O galo rosa apenas fez 10 amistosos contra clubes e "junta-juntas" medíocres na Europa destruída pela II guerra mundial.

1- Prá ser campeão tem que existir um torneio, o que, no caso, não houve. Foram apenas jogos amistosos sem co-relação nenhuma. Nenhum time que jogou contra as frangas, jogou contra outro time que as enfrentou. O atleticano fica totalmente perdido quando lhe é perguntado quem foi o vice-campeão do gelo.

2- Deu vexame: Perdeu tomando sacode do Werder Bremen da Alemanha e do Rapid Viena da Áustria. Conseguiu empatar com o obscuro Eintrecht Brauschweig da Alemanha e a bizarra seleção de Luxemburgo que até poucos anos atrás era amadora e tinha como atletas: padeiro, sapateiro, bombeiros, policiais, mecânico, etc. Venceu apertado, por exemplo, o Stade Français que logo depois extinguiu o futebol e hoje somente é conhecido pelo seu time de rugby.

3- O jornalista mineiro da AMCE, que acompanhou a excursão, foi quem criou o termo "campeão do gelo", na viagem de retorno, prá gerar a manchete do seu jornal. O problema é que depois colocaram o título ilusório no hino do clube e até hoje as frangas estão nessa sinuca de bico.

4- Na verdade as frangas tentam justificar esse "pseudo-título" com a mentira, anteriormente desmascarada, que o galo rosa foi o primeiro clube brasileiro a jogar na Europa. Ou seja, eles criaram uma mentira prá justificar outra mentira. Lamentável!


3ª Mentira: "O Atlético-Rosa é o campeão do século XX"

A Revista Placar publicou uma matéria COMPRADA, às vésperas do centenário "cemternada" das frangas, na qual premiava o Atlético-Monotítulo com a honra de ter sido o clube brasileiro com mais títulos conquistados no século XX.

Todo mundo riu. E muito. Menos os torcedores do Bahia e do ABC de Natal que, pelos critérios da revista, tinham mais títulos que a chacota de MG.

Os protestos foram tantos que a revista Placar publicou uma errata se desculpando na edição seguinte:





4ª Mentira: "O Atlético-Rosa é o primeiro campeão brasileiro"


1- O primeiro campeão brasileiro foi o Bahia em 1959:


2- A nomeclatura "Campeonato Brasileiro" foi usada pela primeira vez na competição só em 1989.

3- Em 1971 o nome da competição era "Campeonato Nacional"



5ª Mentira: "Dadá Maravilha marcou o gol do título de 1971"


1- A final do brasileirão de 71 foi um triangular entre São Paulo, Botafogo e galo rosa.

2- O galo rosa chegou no último jogo, contra o Botafogo, precisando de um empate prá ser campeão.

3- Venceu por 1x0, portanto o gol do Dadá não cheirou e nem fedeu.

4- Anos mais tarde, Dadá Maravilha deu uma declaração polêmica:

"Todo time em que joguei e fui campeão, tinha um gay"

Fontes: Google

5- E prá finalizar, o idolo galináceo declarou poucos anos atrás:

"Um gol com a camisa do Timão vale por três com a camisa do galo"

Fontes: Google



6ª  Mentira: "Copa Conmebol é igual a Copa Sulamericana"


A Copa Conmebol, que teve somente 8 edições, NUNCA deu direito a disputa da RECOPA Sulamericana, portanto era considerada a 3ª divisão das Américas. O nível era tão baixo que o CSA de Alagoas foi vice-campeão, perdendo o titulo pro Talleres da Argentina.

No século XX a RECOPA era disputada entre os campeões da Copa Libertadores e Supercopa da Libertadores. No século XXI a Copa Sulamericana substituiu a Copa Mercosul, que já tinha substituído a Supercopa da Libertadores. 

EXCEÇÃO: Pelo regulamento o São Paulo, campeão da Copa Libertadores de 1993 e Supercopa Libertadores de 1993, seria considerado automaticamente o campeão da Recopa Sul-Americana de 1994, sem haver necessidade de disputa pois conquistou ambos os torneios. Mas somente naquele ano a Conmebol, resolveu convidar o Botafogo, campeão da Copa Conmebol de 1993, para disputar o título em uma partida realizada em Kobe, no Japão. O São Paulo, claro, foi bem recompensado financeiramente por esse estupro do regulamento e por se misturar com essa gentalha da Copa Comebosta.



7ª  Mentira: "O Atlético-Rosa é um time de raça"


Pelo contrário, o galo rosa é o time que mais peida na farofa, um amarelão!

Por anos uma parte nebulosa da história do #galorosa vem sendo escondida mas um atleticano bẽbado e desleixado deixou vazá-la...

24-03-1908 - Vinte e dois adolescentes da classe alta de BH são flagrados, pela guarda municipal, praticando atos sexuais entre si debaixo do coreto do parque da cidade e são detidos pelo crime de sodomia

25-03-1908 - Um acordo, pra abafar o caso, é feito entre o chefe de policia de BH e as familias dos envolvidos:
- É criado o "Athlético Mineiro Football Club", originalmente com camisa branca com listra horizontal verde na altura do peito, escudo redondo com a sigla "AMFC" e já com o apelido de "cachorrada pederasta"

Passa-se 1 ano com os garotos fazendo sabe-se lá o quê...

21-03-1909 - Primeiro jogo do clube e o uniforme é mudado pro preto & branco zebrado pq descobriram dias antes que já tinha outro clube na cidade que usava as cores verde e branco.

12-05-1912 - Após tomar uma sapatada de 5x1 pro Granbery-MG, decide-se que a partir de então o ingresso não poderia custar mais do que 2 passagens de bonde. Um jornalista americano apelida os atleticanos de "torcida 50$ cent"

07-09-1912 - Toma outra sapatada pro Granbery-MG de 3x0 e decidem mudar de nome pro proximo ano de AMFC para CAM

25-06-1913 - O #Galorosa estreia o seu novo nome CAM - Clube Atletico Mineiro - com derrota para o time do Morro Velho de Nova Lima (time formado pelos funcionários da mina)

29-04-1914 - Toma uma sapatada de 4x0 pro Morro Velho-NL e decidem que é preciso começar a comprar as arbitragens

1915 - #galorosa compra o seu primeiro campeonato mineiro

18-12-1917 - Perde a "Taça Veado" (marca de cigarro) pro America-MG e paga mico: O presidente do #galorosa ja tinha mandado fazer uma camisa comemorativa com um veado acima do escudo.

1918 - Primeira fusão do futebol mineiro: Higiênicos-MG funde-se com o galorosa e os atleticanos ganham o apelido de "cachorrada imunda"

17-04-1921 - O recem fundado Cruzeiro mete 3x0 no galorosa, no primeiro jogo entre eles

11-06-1922 - Toma um sacode de 6x2 do América-MG e ganha o apelido de "cachorrada fracassada"

20-09-1923 - Cruzeiro 5x3 galorosa e os atleticanos começam a desconfiar que alguma coisa tá zicando

23-09-1923 - Cruzeiro 3x0 galorosa. Os atleticanos elegem o escudo redondo como o culpado pela zica e ele é trocado pelo espremedor de laranja invertido usado até hoje.

21-10-1923 - Faz seu primeiro jogo contra um time carioca e perde de 4x2 pro Botafogo, "O glorioso". Ganha o apelido de "O Botafogo que fala uai, o grorioso". Nascia ai 1 freguesia histórica.

1926 - depois de 11 anos de jejum, o galorosa compra o seu segundo campeonato mineiro

12-10-1929 - galorosa 2x11 Corinthians. O MAIOR sacode da história do clube aconteceu em SP no dia da criança e foi onde surgiu o primeiro grito de guerra da sua pequena torcida: "...ih, ih, ih, o importante é competir !!!"

01-10-1930 - Outro sacode do Botafogo, dessa vez por 6x3. Freguesia consolidada e eternizada.

23-07-1933 - galorosa 2x5 Tupi-JF. O CAM consolida sua imagem de palhaço no RJ.

20-08-1933 - galorosa 2x6 Portuguesa-SP. Os portugueses apelidam o CAM de "primeiro clube de humor do Brasil."

12-01-1936 galorosa 2x3 Bonsucesso-RJ. Ocorre o primeiro protesto da torcida do galorosa que faz bunda-lele para os jogadores. Os atletas entendem errado e acham que isso é só uma demonstração de amor ao clube.

1937 - mesmo perdendo de 6x0 do Fluminense o galo rosa consegue ganhar a COPA SUDESTE vencendo a Portuguesa-SP e o Rio Branco-ES.

Subiu no salto, só tomou na cloaca nesse ano e o titulo ficou esquecido até 2010 quando houve a unificação dos brasileirões pela CBF, mas a Copa Sudeste é e sempre foi REGIONAL

11-04-1937 - CAM 3x5 Flamengo

14-04-1937 - CAM 2x3 America-RJ

07-07-1937 - CAM 1x2 Bonsucesso-RJ

08-08-1937 - CAM 1x2 America-RJ

29-08-1937 - CAM 1x2 Cruzeiro

26-09-1937 - CAM 1x2 Vasco

04-12-1937 - CAM 1x2 Siderurgica-MG

1938 - Nesse ano o futebol deixa de ser amador e se torna PROFISSIONAL no Brasil

depois veio a segunda guerra mundial que parou o mundo e devastou a europa

15-11-1945 - CAM 2x4 Villa Nova-MG
20-01-1946 - CAM 3x4 Rosario Central-ARG - A tremedeira é antiga
05-09-1946 - CAM 1x2 Siderurgica-MG
08-06-1947 - CAM 3x4 Metaluzina-MG

depois perdeu um monte de jogos pra times mineiros, cariocas, paulistas, Coritiba, Sport, etc.

e continuou...

17-11-1949 - CAM 0x2 Bangu
20-11-1949 - CAM 2x3 Uberlandia

1 vexame atras do outro;

16-04-1950 - CAM 1x9 Corinthians

23-04-1950 - CAM 0x2 Guarani-SP

02-05-1950 - CAM 0x5 America-MG

18-06-1950 - CAM 1x3 Cruzeiro

22-06-1950 - CAM 0x2 Cruzeiro

13-08-1950 - CAM 2x3 Metaluzina-MG

15-10-1950 - CAM 3x5 Siderurgica-MG

ai resolveu fazer uma excursão na europa e ganhou a maioria dos amistosos

1 ano antes o Palmeiras disputou um torneio contra o Barcelona e outros clubes na Espanha e o Vasco já tinha ido 2 vezes.

Mas os atleticanos teimam em mentir que foram os primeiros a pisar na europa.


voltou levando chumbo

02-02-1951 - CAM 0x5 America-MG

04-10-1951 - CAM 1x6 Radium-Mococa-SP

07-11-1951 - CAM 1x3 Siderurgica-MG

15-11-1951 - CAM 0x2 Lavoura-PR (time da cidade de Arapongas)

15-05-1952 - CAM 2x7 America-MG

24-10-1965 - Primeiro confronto Cruzeiro X galo rosa no Mineirão recém inaugurado. Cruzeiro ganhando de 1x0 e o arbitro marca um penalti prá raposa. As frangas se descontrolam e abandonam o jogo alegando que "o penalti tinha sido em cima da linha da grande área". Além de fujonas e burras são analfabetas: falta em cima da linha é penalti, tá na regra. O episódio ficou conhecido como "A fuga das galinhas"

1966 - Numa década de supremacia celeste, o Cruzeiro é campeão brasileiro em cima do Santos de Pelé

1971 - Acontece um aborto da natureza: o galo rosa ganha o campeonato nacional

1972 - O mundo volta ao normal: Na Libertadores o galo rosa consegue ser eliminado na fase de grupos sem conseguir 1 vitória sequer.

1976 - Outra década de supremacia celeste e o Cruzeiro conquista brilhantemente a Copa Libertadores

1977 - O galo rosa consegue a façanha de ser vice-campeão invicto perdendo o título pro São Paulo em pleno Mineirão

1978 - O galo rosa é eliminado da Libertadores tomando 2 traulitadas do Boca Juniors

1979 - O galo rosa abandona o brasileirão e perde as 2 últimas partidas por WO pra Internacional e Góias. "A fuga das galinhas - parte 2"

1980 - Perde o brasileirão num vareio de bola pro Flamengo de Zico & cia

1981 - É eliminado da Libertadores em um jogo de desempate da fase de grupos pelo carrasco Flamengo. Juram que se tivessem passado desse jogo teriam ganhado todos os jogos até o titulo. Piada.

1993 - Terminam o brasileirão na LANTERNA, na posição de número 32. Tiveram a sorte de naquele ano não haver rebaixamento previsto no regulamento. Detalhe: terminaram a competição com apenas 1 vitória.

12-12-1995 - Primeiro jogo da final da extinta Copa Conmebol: CAM 4x0 Rosário Central-ARG no Mineirão, e os atleticanos passam a madrugada comemorando antecipadamente o titulo relando as cloacas no famoso obelisco da Praça 7.

19-12-1995 - Rosário Central 4x0 CAM, Rosário campeão. Riam a vontade. E de quebra ainda ganhou apelido dos argentinos: "El Pequetito Borrador"

2004 - Deram vexame nos bastidores do futebol: http://www.novaimprensa.inf.br/passadas/446/esporte.html

2005 - Cairam pra segundona. Devido ao escândalo da arbitragem nesse ano e da Policia Federal estar de olho, não conseguiram repetir a malandragem do ano anterior.

2010 - Sairam do armário com o combo GLS: uniforme rosa, ônibus batizado de "Expresso da Paixão" e a contratação do idolo da torcida, Richarlyson.

2011 - Levaram de 6x1 do Cruzeiro

2013 - Compraram a Libertadores do Olimpia por 15 milhões de dolares.

Tabela de títulos Cruzeiro X galorosa desde 1990:

http://guerrilhaceleste.blogspot.com/2011/05/tabela-de-titulos-de-cruzeiro-x.html


Fonte dos jogos: http://www.rsssfbrasil.com/miscellaneous/matatlmg.htm



8ª  Mentira: "Tenho orgulho de torcer pro galo rosa"

Mente que nem sente. Quando eram crianças foram enganados que o galo rosa era um time grande e agora ficam fazendo papel de palhaço. O que sustenta o que sobrou da torcida das frangas é a coação familiar, o ingresso barato e a babação de ovo da imprensa galinácea, a galopress.



Essas duas charges resumem o que é "ser atleticano" nos dias atuais:






20 de maio de 2011

Cruzeiro é o 2º melhor na era dos pontos corridos

No ranking de pontos corridos do campeonato brasileiro (desde2003), o Cruzeiro tem uma vantagem de 151 pontos a frente do galorosa. Isso equivale a 50 vitórias e 1 empate de diferença:




16 de maio de 2011

Tabela de titulos de Cruzeiro X Galorosa desde 1990

TÍTULOS DO CRUZEIRO

1990 - Mineiro
1991 - Copa dos Campeões de MG e Supercopa da Libertadores
1992 - Mineiro e Supercopa da Libertadores
1993 - Copa do Brasil
1994 - Mineiro
1995 - Copa Masters da Supercopa e Copa Ouro
1996 - Mineiro e Copa do Brasil
1997 - Mineiro e Copa Libertadores
1998 - Mineiro
1999 - Copa dos Campeões de MG, Copa Centro-Oeste e Recopa Sul-Americana
2000 - Copa do Brasil
2001 - Copa Sul-Minas
2002 - Copa Sul-Minas e Super Mineiro
2003 - Mineiro, Copa do Brasil e Brasileiro
2004 - Mineiro
2005 -
2006 - Mineiro
2007 -
2008 - Mineiro
2009 - Mineiro
2010 -
2011 - Mineiro

TOTAL:29




TÍTULOS DO ATLÉTICO-MG

1990-
1991 - Rural
1992 - Comebosta
1993-
1994 -
1995 - Rural
1996
1997 - Comebosta
1998 -
1999 - Rural
2000 - Rural
2001 -
2002 -
2003 -
2004 -
2005 -
2006 - segundona não é titulo, É ACESSO!
2007 - Rural
2008 -
2009 -
2010 - Rural
2011 -

TOTAL: 8


Obs: A Copa Conmebol, que teve somente 8 edições, NUNCA deu direito a disputa da RECOPA Sulamericana, portanto era considerada a 3ª divisão das Américas. O nivel era tão baixo que o CSA de Alagoas foi vice-campeão, perdendo o titulo pro Talleres da Argentina.

No século XX a RECOPA era disputada entre os campeões da Copa Libertadores e Supercopa da Libertadores. No século XXI a Copa Sulamericana substituiu a Supercopa.

15 de maio de 2011

Resposta do Valdir Barbosa ao falastrão do Kalil

Após o Cruzeiro conquistar o campeonato mineiro de 2011, Valdir Barbosa, diretor de futebol celeste, deu o troco em Alexandre Kalil.


ÁUDIO: http://www.youtube.com/watch?v=u6KAxwMIxYc


Transcrição da fala dele ao microfone da radio Itatiaia:

'' O presidente do Atlético, Alexandre Kalil, pessoa que eu sempre respeitei, me jogou algumas coisas, dizendo que não responde empregado. Isso ai não me machuca. Mas, me chamou de lacaio. Eu acho que quando você mexe com o caráter das pessoas, tudo muda. O que eu queria dizer para o presidente do Atlético o seguinte: eu sou empregado, com muita honra. 31 anos de futebol, 14 de Cruzeiro. Vivo do meu salario, de futebol. As minhas filhas comem e estudam com o dinheiro do futebol. Eu tenho orgulho disso. Não é demérito pra ninguém. Tudo o que eu tenho está declarado no imposto de renda, de acordo com o que eu ganhei. Eu nunca me travesti de dirigente de futebol para recuperar empresa pré-falida, para levar outras vantagens comerciais. Nunca! Eu sou realmente empregado e dos bons. Agora, o que o Kalil tem que fazer é parar de se preocupar com o Cruzeiro e montar um time para ganhar título no gramado. Time de sofá, não ganha título. Time que fica no sofá, na poltrona, torcendo contra os outros, levantando troféu com o Borussia, Fluminense, Estudiantes, Once Caldas, não dá. Quando o nosso time entra para jogar, deu no que deu: 2 a 0. Então, presidente Alexandre Kalil, sempre te respeitei, e você faltou o respeito comigo. Então aprenda! Você disse que é o melhor dirigente de futebol do Brasil. Monte time! Como que você vai continuar distraindo a sua torcida até o final do ano? Acabou o Mineiro, a Copa do Brasil, o aniversário do Galo já passou. Agora é brasileiro meu amigo, segura para não cai''

A fraude galinácea dos números do confronto CEC X CAM

Atualmente há uma diferença de 12 vitórias entre as estatísticas apresentadas pelo CAM e pelo Cruzeiro no confronto direto entre os 2 times desde a primeira, em 17-04-1921, quando a Raposa meteu 3x0 na cloaca arrombada das frangas.

Henrique Ribeiro, um dos maiores historiadores esportivos do Brasil, concedeu uma entrevista onde desmascara a fraude e falsificação de dados feita pelos atleticanos em 1988 e divulgada freneticamente, desde então, pela imprensa de penas:



Pergunta: É sabido que Cruzeiro e Atlético-MG possuem estatísticas diferentes em relação aos confrontos entre os 2 clubes. Você procurou alguém do Atlético-MG prá ter acesso aos dados deles?Existe alguma ligação entre pessoas dos 2 clubes visando resolver essas diferenças?

HENRIQUE RIBEIRO: "Conheço as estatísticas do Atlético que foram publicadas em 1988 no suplemento comemorativo aos 80 anos do clube. Pela relação de clássicos é fácil observar os erros. Há resultados invertidos de alguns jogos, confrontos inexistentes e até jogos repetidos. O levantamento do Atlético foi uma iniciativa do Adelchi Ziller, que trabalhou em varios departamentos do alvinegro e que no início dos anos 70, contratou um grupo de estudantes para levantar os jogos do clube. Acontece que a cobertura dos jogos de futebol pela imprensa até meados da década de 30 não eram tão bem feitas como atualmente e os jornais deixavam até de dar o resultado do jogo. Nesses casos, por exemplo, algumas pessoas que trabalharam no Atlético acusam Adelchi Ziller de ter inventado placares favoráveis ao Atlético, principalmente, nos confrontos contra o Cruzeiro

Quando levantei o fato junto a imprensa um grupo de pessoas de dentro do Atlético reviu os erros e da noite para o dia as estatísticas deles apresentaram um decréscimo de 10 vitórias que julgavam ter a mais no confronto. No entanto, numa conversa que tive com Emerson Maurílio, em 2002 (ele trabalhou com os dados do Atletico até 2006) tive outra decepção. Ele me contou que estavam considerando jogos-treinos e de alguns jogos envolvendo times-B. Isso contraria os criterios do futebol e até dos regulamentos. Os dados que levantei entre Cruzerio e Atlético constam apenas os jogos oficiais e amistosos dos times principais que é a forma correta e que sempre foi adotado pelos departamentos técnicos dos clubes de futebol."

18 de fevereiro de 2011

Fevereiro de 2011: De novo, o mundo se curva a La Bestia Negra

Copa Libertadores - fase de grupos

16-02-2011

Cruzeiro 5x0 Estudiantes

Goleada histórica do Cruzeiro sobre o Estudiantes repercute no mundo inteiro

A goleada de 5 a 0 do Cruzeiro sobre o Estudiantes virou assunto em todos os cantos do planeta, entre os apaixonados por futebol. Não bastasse o clube celeste ser destaque nos jornais esportivos sul-americanos, o triunfo épico foi notícia também nos periódicos europeus.

http://www.mg.superesportes.com.br/



Capas de jornais argentinos

http://www.mg.superesportes.com.br


Diário argentino 'Olé' destaca a ‘pior derrota da história’ do Estudiantes

O levantamento do diário 'Olé' lembra também que, tirando a final da Libertadores de 2009, quando derrotou o Cruzeiro na final), todas as demais três vezes em que o Estudiantes esteve no Brasil para enfrentar o time celeste voltou para Buenos Aires com uma retumbante derrota na bagagem (0 x 3 pela Supercopa de 94, 0 x 3 pela primeira fase da Libertadores de 2009 e 0 x 5 no duelo em Sete Lagoas).

http://globoesporte.globo.com



'Olé' argentino - "Comete la gastada"


El Diario Lance de Brasil y una tapa polémica: "Professores 5 – Estudiantes 0", tituló. Cruzeiro goleó al Pincha y la prensa brasileña aprovechó.
Un 0-5 bravo. El peor resultado de la historia para Estudiantes de La Plata en torneos internacionales. Una goleada inesperada para el campeón argentino, justo ante un equipo brasileño y un conocido: el Cruzeiro.
El Pincha de Eduardo Berizzo cayó goleado en tierras verdeamarelas y la prensa brasileña aprovechó para gastarlo: "Professores 5 – Estudiantes 0", tituló el Diario Lance. Y sí, a comerse la gastada...

http://www.ole.com.ar/estudiantes/Comete-gastada_0_428957211.html


"El peor resultado de la historia"

Estudiantes nunca había perdido por 5 goles en torneos internacionales. Un golpe muy duro para el Pincha.

http://www.ole.com.ar/estudiantes/resultado-historia_0_428357289.html


Site da FIFA destaca: "Estudiantes swamped as champs held"

Brazilian giants Cruzeiro crushed Argentinian champions Estudiantes 5-0 in their Copa Libertadores clash on Wednesday.
Walter Montillo and Wallyson scored twice each to send Cruzeiro top of Group 7 and hand Estudiantes their heaviest ever defeat in the competition. Cruzeiro went ahead after just 50 seconds through Wallyson before Roger and Montillo struck before break to put the Brazilians in total control. Montillo netted his second as he capitalised on a mistake by Orion just before the hour mark and Wallyson completed the rout by finishing off a fine move involving Thiago Ribeiro with eight minutes to go.


http://www.fifa.com/worldfootball/clubfootball/news/newsid=1384195.html?cid=twitter_voiceofthesite



Agência Reuters: "Cruzeiro hand Estudiantes worst Libertadores defeat"

Estudiantes, South American champions in 1968, 1969, 1970 and 2009, suffered their previous worst defeats
 ...
Montillo scored again the 58th with a low shot and Wallyson completed Estudiantes' humiliation six minutes from time when a poor clearance went in off his chest. 

http://uk.reuters.com/article/2011/02/17/soccer-latam-libertadores-idUKLDE71G00W20110217



Espanha: "El Cruzeiro infringe un duro castigo al Estudiantes"

http://www.as.com/futbol/articulo/cruzeiro-infringe-duro-castigo-estudiantes/20110217dasdasftb_2/Tes


"Cruzeiro se toma la revancha por la Libertadores de 2009"

EL EQUIPO BRASILEÑO HIZO UNA MANITA A ESTUDIANTES (5-0)

http://www.marca.com/2011/02/17/futbol/futbol_internacional/america/1297925775.html



Cruzeiro passa a ter mais vitórias diante de argentinos na Copa Libertadores

http://www.mg.superesportes.com.br


Goleada foi a terceira maior do Cruzeiro em Libertadores e a mais expressiva

Maiores goleadas do Cruzeiro na Libertadores:

2010 – Cruzeiro 7 x 0 Real Potosí-BOL – Mineirão
1976 – Cruzeiro 7 x 1 Alianza-PER – Mineirão
2011 – Cruzeiro 5 x 0 Estudiantes-ARG – Arena do Jacaré
2004 – Cruzeiro 5 x 0 Concepción-CHI – Mineirão
2001 – Cruzeiro 5 x 0 Sporting Cristal-PER – Mineirão
1977 – Portuguesa-VEN 0 x 4 Cruzeiro – Acarígua, Venezuela
1976 – Alianza-PER 0 x 4 Cruzeiro – Lima, Peru
1967 – Cruzeiro 4 x 0 Deportivo Itália-VEN – Mineirão

http://www.mg.superesportes.com.br


Montillo é destaque na imprensa argentina e aguarda por Seleção

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/cruzeiro/noticia/2011/02/montillo-e-destaque-na-imprensa-argentina-e-aguarda-por-selecao.html

Deborah Secco, uma torcedora ilustre 

http://globoesporte.globo.com/futebol/times/cruzeiro/noticia/2011/02/na-torcida-por-roger-deborah-secco-acompanha-goleada-do-cruzeiro.html